VOLTAR PARA A PÁGINA PRINCIPAL →

ULTRASSOM

O ultrassom é um tratamento estético, que penetra profundamente na pele, agindo como anti-inflamatório e proporcionando alívio às dores.

Por promover o estímulo do colágeno, é muito indicado para quebrar gorduras, reduzir a celulite e em procedimentos contra a flacidez e perda de firmeza da pele da face e do pescoço. Para entender melhor, o ultrassom é uma onda mecânica com uma frequência alta (acima de 20 kHz) que é capaz de ultrapassar a pele. Quanto maior a frequência da onda de ultrassom, mais superficialmente penetra na pele.

No caso dos tratamentos contra a flacidez da pele, o efeito é térmico, que faz as moléculas vibrarem, gerarem calor e, logo, o colágeno é estimulado. Quando é usado para quebrar as gorduras, sua ação é mecânica, pois o ultrassom forma dois tipos diferentes de pressão nas células adiposas. A gordura fica entre as células e é metabolizada pelo sistema linfático.

Os efeitos térmicos também são muitos como aumento da velocidade de condução do nervo sensorial, aumento do alongamento das estruturas ricas em colágeno, aumento da deposição de colágeno, aumento do fluxo sanguíneo, redução do espasmo muscular, aumento da atividade das células de defesa (macrófagos), melhora da adesão dos leucócitos a células endoteliais danificadas.

Os efeitos não térmicos são diversos como aumento da permeabilidade da membrana celular, aumento da permeabilidade vascular, aumento do fluxo sanguíneo, aumento da atividade dos fibroblastos, estimulação da fagocitose, síntese de proteína, redução de edema, síntese de colágeno, difusão de íons, regeneração de tecido.

Para o tratamento da celulite, o ultrassom deve ser feito semanalmente ou quinzenalmente e, normalmente, 12 sessões são indicadas. No tratamento da gordura localizada, o procedimento deve ser feito em intervalos de um mês e pode ser feito em uma única sessão. E, para a redução da flacidez da pele de rosto e pescoço, o procedimento é feito em apenas uma sessão e os resultados são avaliados após três meses, quando o novo colágeno é formado. Depois disso, novas sessões podem ser feitas apenas um ano depois.

O ultrassom não é indicado:

• Sobre áreas com distúrbios vasculares periféricos, como trombose venosa profunda (TVP) ou aterosclerose severa
• Sobre a pele com lesão cutânea ou irritações
• Sobre a pele anestésica (sem sensibilidade)
• Sobre epífises de crescimento em crianças e jovens
• Sobre regiões corporais previamente expostas a radiação
• Pacientes com hemofilia não-controlada
• Pacientes portadores de tumores malignos
• Pacientes com processos infecciosos
• Sobre o tórax de cardiopatas ou portadores de marca-passo cardíaco
• Gestantes
• Sobre as gônadas (ovários e testículos)
• Sobre os olhos

O ultrassom deve ser feito somente por fisioterapeutas supervisionados por médicos, como dermatologistas.

Como o ultrassom atinge camadas mais profundas da pele, quando trata flacidez da pele de rosto e pescoço, o procedimento pode causar dor. Por isso, uma analgesia é feita antes do início da sessão. É importante que a pele esteja limpa e seca, sem cremes ou maquiagem. Acne grave também é uma contraindicação para o uso do aparelho de ultrassom para o tratamento de flacidez. Para gordura localizada, o ultrassom é contraindicado em pessoas com colesterol ou triglicérides muito altos e com mau funcionamento do fígado, já que mais gordura será liberada na circulação para ser metabolizada nesse órgão.

Para marcar avaliação com nossa fisioterapeuta ou consulta médica com nossa dermatologista Dra. Flavia Paiva, telefone para (21) 3798-9391 | WhatsApp 98237-9391.

↑ TOP   |   VOLTAR PARA A PÁGINA PRINCIPAL →